05012021

05012021

O fato de todas as minhas roupas rotineiras estarem sujas num canto da lavanderia a mais de uma semana, não foram os motivos da minha decisão de acoplar minha barriga ao tanque e as lavar de forma manual.

De maneira geral, não poderia me considerar, nem de longe, a pessoa mais organizada que existe.
Procrastino ate o ultimo segundo, tudo.
E todas as vezes que entrei nesse comodo, me senti horrível.

Tudo fedia a suor azedo,cinzas molhadas e álcool evaporado.
Parece exagero, mas não é.

Enquanto enchia o tanque, para fazer uma especie de bacia, comecei a ter uma epifania gostosa e nostálgica.

Lembrei da minha mãe, aos domingos com aquele taquinho transbordando espuma de sabão em pó, e o cheiro de amaciante que sentia todas as vezes que ia ate o banheiro (logo atras da lavanderiana casa dela).

Rebobinei na minha mente as imagens dos lençóis floridos e de desenhos animados, como se o vento lentamente os inflassem e assoprassem.Aquele céu azul que só observo no Green Valley ( ate os dias de hoje quando estou por lá) de plano de fundo.
O balançar da rede, o rangido que o gancho fazia.
Parece tão antigo.
Como uma recordação de uma outra vida, outra parte da minha vida que apenas surge como um filme a ser assistido.

Lembrei das minhas avós, e da relação de equivalência que existia nos encontros mesmo que em outras cidades, e em momentos distintos, e da visão das vestes molhadas e dos prendedores pendurados, minuciosamente alinhados em um dos lados do avental ou guardanapo.
Mesmo com as visitas, a desnecessidade de se arrumar perante ao cotidiano.
Abraça-las e sentir aquela região do corpo molhada, trazia um aconchego que só se sente quando se esta próximo a algo muito intimo.Casa.Lar.

Agora sentei aqui e me molhei em lagrimas.

Pra que dizer isso num texto tacanho sobre as mulheres das nossas vidas?
Justamente porque as refletimos o tempo todo.

Hoje já quis me livrar da maquina de lavar justamente para poder ensaboar melhor minhas roupas e da Sophia, me conectar com essa parte da lida da casa, me conectar também às memórias que me de atrelam às minhas raizes.
Ensaboar as roupas, enxáguar com lagrimas.O Sal há de me limpar também.
Parece meio bobo e impulsivo.Não ligo.

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s