03:33Hrs

Grande, de olhos castanhos
Banha me com sua penumbra
Insana cura, suas curvas
Suas veias, seus olhares

Ruina infértil de uma estátua qualquer
Desenhado às mãos delicadas de uma Deusa
E que nao fez questão de ficar em pé
Perante tempestade alguma renegou suas fragilidades
Dentro de um templo qualquer, envelheceu com o tempo.

Insano de olhar maciço
Pedaços de tantos outros
Costuras de tantas colchas
Manchas de tantos lençóis.

Eis ai uma ode ao ínfimo
Ao devaneio surdo e límpido
E entre labios que mentem
Nos enganamos mais uma vez.

18:28Hrs

Soletrando a estória
Em vias de fato
Concorda-se a verdade
Acerta-se aparas
Não ha tempo vago.

Vento do norte ao sul
Arrasta todo cabelo seco
Devolve a sanidade capaz
De equalizar os ecos.

Sequela que coça palavra
Corte que arranha olhada
Viagem que arrasta estrada
Derramo-me.

Estrondo desgovernal o choro
Que foi esquecido por dias
Centelha mundana, soprada ao vento
O tempo, o não, sangrias.

Sorve e absorve minha saliva
Enquanto nossas mentes cantam
Dança comigo na rua e
Despreza tantos outros cantos.

Entre visões que nos lembram, enquanto os copos esvaziam-se, das velas que apaguaram sozinhas
De todas as tardes cinzas.

Das historias contidas, enquanto os cigarros se queimam,nos segmentos finos de fumaça densa onde nos vimos insanos, e rimos por dentro.

Ao som das musicas palavras suas
E rimas contando memórias
Vamos nos eternizando
Dentro do tempo do agora.

ADOBEADDICT II

In celebration of the International Year of Astronomy 2009, the NASA/ESA Hubble Space Telescope and its companion Great Observatories: the Spitzer Space Telescope and the Chandra X-ray Observatory have collaborated to produce an unprecedented image of the central region of our Milky Way galaxy. In this spectacular image, observations using infrared light and X-ray light see through the obscuring dust and reveal the intense activity near the galactic core. Note that the centre of the galaxy is located within the bright white region to the right of and just below the middle of the image. The entire image width covers about one-half a degree, about the same angular width as the full moon. Each telescope’s contribution is presented in a different colour: Yellow represents the near-infrared observations of Hubble. They outline the energetic regions where stars are being born as well as reveal hundreds of thousands of stars. Red represents the infrared observations of Spitzer. The radiation and winds from stars create glowing dust clouds that exhibit complex structures from compact, spherical globules to long, stringy filaments. Blue and violet represent the X-ray observations of Chandra. X-rays are emitted by gas heated to millions of degrees by stellar explosions and by outflows from the supermassive black hole in the galaxy’s centre. The bright blue blob on the left side is emission from a double star system containing either a neutron star or a black hole. When these views are brought together, this composite image provides one of the most detailed views ever of our galaxy’s mysterious core.

ZINE MORDAZ #3


#1

Onde nada pode começar
Onde tudo pode se encerrar

No cinza
No branco
No preto
No azul.

Em todas cores
Me perco.
No silêncio
Me perco.

Catalisando energias finas de prazeres
Devolvendo ódio, amando sozinho.
Desconectando do todo, sendo solo.
Pairando sob ondas.
Levando os louros.
Não merecendo-os.
Visões atravessadoras do espetáculo.
Ignorando o backstage, no escuro.

Onde é que não me enquadro nisso?

Captei no silêncio
O inaudível  som do tempo,
Que ecoava alto e ausente.
Que percorria invisível
Países
Cidades
Destinos.

No silêncio
Me emaranhei em sentenças.
Que julgava impossível.
No silêncio que vem de dentro,
Quê não desiste,
Ouvi resíduos de pensamentos
Desmenti verdades que julguei frias.
Arrebentei tímpanos de sentimentos
E dancei desritmadamente uma
 dança sem movimento.